Karol Costa
Cartas da Karol
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Textos
Encontrar a si mesmo
Pode perguntar como se encontrar se nunca me perdi?

Mas será mesmo que sois quem deveria ser?

Para se encontrar primeiro é necessário se perder em meio aos seus pensamentos, rever conceitos, padrões, desejos.

Ir de encontro com sua essência, pois com o passar do tempo e do meio em que está inserido acaba usando máscaras para que não usem suas fraquezas contra você mesmo.

Se descobrir novamente, por que não? Novos sabores a serem explorados, novas sensações, exteriorizar as emoções que por tantas vezes ocultou, desprender-se do superficial e mergulhar fundo em si mesmo.
Um pouco a cada dia, até que se torne um hábito a ter o olhar afetuoso por si mesmo.

Sabe aquelas escolhas que cabiam até ontem, então hoje elas não cabem mais e sua consciência grita desesperadamente que a escute.

Não é apenas escutar e deixar pra lá, ao invés disso é compreender o real significado e colocar em prática.

Interiorize em seu ser um dia por vez, até que consiga entender o que realmente importa.

Não permita como antes que pessoas que um dia conquistaram sua confiança e mesmo assim a jogaram fora, voltem ao seu meio, pois se fosse uma amizade verdadeira não teria se findado.

Amizades duradouras são aquelas que te elevam, mesmo que haja momentos obscuros, eles estarão ali para te puxar de novo a vida.

Encontre razões mesmo que as próprias razões não sejam lógica, porque muitas vezes a lógica faz você se perder em meio a padrões alienados.

Quando há liberdade em demasia, surge a libertinagem e se perde o real significado das coisas e a importância das pessoas que lhe rodeiam.
Pessoas não são objetos para serem possuidos e descartados, pessoas tem sentimentos.

Talvez seja o local onde está hoje ou será seus olhos que perderam a essência do divino?

Divino é contemplar com simplicidade o amanhecer, o sorriso de uma criança, receber um abraço sincero em meio as onças que surgem no meio do caminho.

É aproximar-se de Deus, da espiritualidade, não cabe mais ficar “em cima do muro”, pois o muro está a desmoronar e sucumbirá se não tomar uma decisão.

Então o que enfim deseja para o seu caminhar: O mundo ou o Sagrado? Não há como servir a dois mestres.

Lembre-se o mundo lhe dará o que é superficial, enquanto o sagrado lhe concede algo duradouro e até mesmo além vida.

Aproveite cada momento pois ele é único e mesmo que tente recriar ele não ocorrerá da mesma forma com a mesma intensidade e paixão.
Karol Costa
Enviado por Karol Costa em 25/07/2020
Alterado em 08/09/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários